Ilustração de inteligência artificial

Contra fake news, startup age com inteligência artificial

Durante a campanha presidencial dos Estados Unidos de 2016, que elegeu Donald Trump, as notícias falsas se propagaram de diversas maneiras. Gigantes da tecnologia, como Google e Facebook, têm mostrado interesse em combater as ‘fake news’, mas ainda não apresentaram resultados práticos.

A circulação de boatos têm preocupado cientistas, tanto que já se discute: será que é possível treinar alguma máquina capaz de deter a propagação de mentiras?

A startup Adverif.ai tem se dedicado a isso. Criada em novembro do ano passado pelo especialista em machine learning Or Levi, a empresa se dedica a criar soluções para empresas e clientes que querem identificar e se afastar de vez das ‘fake news’.

Tecnologia contra notícias falsas

Existem padrões que identificam notícias falsas: conteúdo sensacionalista, títulos extremamente chamativos que não condizem muito com o texto, entre outras características.

A Adverif.ai tem atuado em versão beta para detectar histórias falsas, nudez, violência, apologia a substâncias ilegais e malware em sites hospedados nos servidores dos Estados Unidos e países da Europa.

Como funciona a tecnologia do Adverif.ai

Para isso, eles usam tecnologia de processamento de linguagem natural, que compreende os códigos utilizados em sites e blogs que propagam ‘fake news’ para tornar compreensível à linguagem humana.

Isso, no caso, representa uma etapa do trabalho da Adverif.ai.

Uma vez que a linguagem é decodificada, entra em processo uma segunda etapa, de deep learning. Ou seja, os técnicos da empresa treinaram máquinas específicas para atuar e, automaticamente, identificar conteúdos falsos. (Vale lembrar que, resumidamente, deep learning equivale a aplicar um treino sofisticado em uma máquina, que processa uma imensa quantidade de informações com redes neurais artificiais.)

Essa tecnologia permite gerar uma classificação automática para sites. Em um teste com versão demo, o MIT Technology Review revelou que o site “Onion”, bastante conhecido nos EUA por propagar histórias falsas, foi identificado por essa tecnologia como “não confiável, de direita, político e parcial”.

Ranking de ‘fake news’

Com análises de diversas páginas, a Adverif.ai criou um ranking próprio de notícias falsas, chamado “FakeRank”, com o propósito de mapear páginas que espalham esse tipo de conteúdo na mesma lógica de “PageRank” do Google – que prioriza sites que identifica com maior relevância em sua busca.

“Nossos modelos, uma vez implantados, permanecem aprendendo continuamente com base em seus dados para liberar o poder de uma verdadeira solução sob medida”, diz o site oficial da startup.

Facebook Comments

5 comentários

  1. Como vou saber se o projeto é de esquerda ou direita? Porque é praticamente impossível nào ser uma coisa ou outra, ou não se vender a um ou outro. Como saber se não é mais uma armadilha?

    1. Nós não estamos tão preocupados em quem é de direita ou esquerda. Queremos descobrir quais são os sites que espalham mentiras e enganam a população (no nosso projeto, descobrimos sites que são ambos de direita e esquerda espalhando mentiras na internet). Foco na qualidade e fora dessa polarização que só nos divide.

Deixe uma resposta