Cresce a crise no jornalismo: de salários congelados ao fechamento de redações

Diário do Confim do Mundo

O trabalho jornalístico sofre as consequências de um longo processo de precarização que conta com ataques à imprensa e com o efeito das fake news

Anderson Figueiredo e Celso Lopez

Veículos multimídia têm queda nas vendas e edições impressas são as mais afetadas (Foto: Anderson Figueiredo)

O trabalho jornalístico tem sofrido cada vez mais com um longo processo de precarização. Entre os pilares que alimentaram esse contexto estão a Lei da Terceirização, aprovada em 2017, que permite o uso da terceirização em todas as áreas das empresas, a Reforma Trabalhista, também de 2017, e a Reforma da Previdência de 2019. Sobretudo na era das fake news, os meios de comunicações jornalísticos assumem um importante papel de filtradores da informação para o público. Apesar dessa função fundamental, o exercício jornalístico sente os efeitos de um cenário desolador, que causa desde uma redução drástica de profissionais no meio, até o fechamento completo…

Ver o post original 1.610 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s